Encarando o diagnóstico

Quando sua criança é diagnosticada com Transtorno do Espectro Autista conhecido como TEA ou simplesmente autismo, pode parecer que tudo muda. Mas a sua criança é exatamente a mesma de minutos antes da consulta ou do diagnóstico, sua percepção é que muda. Você se pega pensando: Minha criança é autista, e agora?

Por mais assustador que o diagnóstico do TEA possa parecer, existem maneiras para você preparar sua criança e sua família para continuar crescendo e o mais importante, se desenvolvendo.

 

Seguem alguns passos:

1. Lembre-se que o diagnóstico não muda a sua criança;
2. Permita-se ficar triste ou desanimado;
3. Aprenda sobre o autismo;
4. Procure ajuda;
5. Pesquise opções de tratamento;
6. Continue ensinando sua criança;
7. Seja parceiro da escola de seu filho;
8. Cuide de você.

Vamos ver como cada um desses passos pode ajudar.

Lembre-se que o diagnóstico não muda sua criança.

Sabe aquela criança que você amou desde a primeira vez que a teve em seus braços? Então, ela é a mesma pessoa. Mesmo que sinta que alguma coisa mudou quando obteve o diagnóstico, pense, nada é diferente exceto que agora você entenderá e sua criança e alguns comportamentos de uma nova maneira. O autismo não a define, mas ajuda a explicar como ela percebe o mundo a sua volta.

O diagnóstico não é uma sentença e sim um guia para ajudar você a entender o que a sua criança precisa para desenvolver seu melhor potencial.

Todos nós temos diferentes necessidades. Cada um de nós tem suas forças e desafios, sua criança também. Incentive-a no que ela é boa, e então ensine-a como completar ou aceitar as atividades que ela acha desafiadora.

 

Permita-se ficar triste ou desanimado

Dizer para você mesmo não ficar triste ou desanimado não vai mudar o sentimento. Na verdade, receber o diagnóstico pode mexer profundamente com suas emoções.

A fim de digerir e avançar com tudo que você terá que administrar, você não pode evitar suas emoções. Permita-se sentir da forma que você estiver se sentindo. Vá fundo em cada estágio do sentimento, não há nada de errado com isso.

Após isso, levante a cabeça e fique pronto para ajudar sua criança a enfrentar e a vencer!

Aprenda sobre o autismo

Mesmo que você saiba muito sobre o autismo, reserve um tempo para aprender mais. Busque por informações em mais de uma fonte e entenda todos os sintomas do “espectro”. Se possível trabalhe junto com o pediatra e especialistas para entender as necessidades e desafios específicos de sua criança.

Mas também busque informações de outras fontes. O autismo é um espectro e ninguém é igual. Tenha em mente que vai encontrar muitas coisas baseadas em fatos e comprovadas cientificamente e outras não. O importante é saber separar.

 Procure ajuda

Todos os pais precisam de ajuda, mas quando você tem uma criança com TEA precisa ainda mais. Você pode encontrar ajuda unindo-se a um grupo de pais ou perguntar para o pediatra e terapeutas de seu filho se eles conhecem alguns grupos de apoio. Estes grupos normalmente tem pessoas que oferecem apoio emocional e conselhos práticos. Não permita que o diagnóstico isole você e seu filho.

Além disso, existem vários blogs escritos por pais que tem uma criança (ou múltiplas crianças) com autismo. Você também pode encontrar vídeos onde pais compartilham suas experiencias e conselhos.

Pesquise opções de tratamentos

O autismo é uma maneira única de sentir o mundo. Você precisa entender a perspectiva da sua criança e aprender como interagir com ela de modo a auxiliar seu desenvolvimento ao máximo.

Não existe receita pronta e cada criança terá seus gostos e preferências.

Existe muitas opções de tratamento que auxiliam no desenvolvimento do autista incluindo:

• Fonoaudiologia
• Terapia ocupacional
• PRT (Treinamento de respostas Pivôs)
• Comportamento verbal

Entre eles a terapia ABA (Applied Behavior Analysis) ou análise do comportamento aplicada como é conhecida no Brasil, é bastante indicada e oferece ferramentas para ajudar você a entender o autista em suas diferentes perspectivas bem como orienta como ensiná-lo da forma que ele melhor aprende. A ABA trata cada sujeito em sua singularidade e alinha o tratamento dentro deste entendimento.

Continue ensinando sua criança

Se sua criança tem autismo ele pode não aprender da mesma forma ou na mesma velocidade que as outras crianças aprendem, mas ainda assim ele pode aprender. Não desista! O que ele precisa é de diferentes estratégias de ensino.

Crianças autistas percebem o mundo de uma forma diferente e entendem as coisas de uma forma diferente. Aprenda e utilize novas estratégias para ensiná-la. No começo pode ser difícil, pois você foi ensinado de uma forma e provavelmente usa metodologias similares para ensinar.

Aprender um novo jeito de ensinar pode ser desafiador no começo, mas com o tempo será bem mais fácil tanto para você como para seu filho.

Colocaremos posts relacionados para ajudar você com ideias de como ensinar seu filho.

Seja parceiro da escola de seu filho

A escola deveria ser o local onde você pode buscar informação e auxílio. Eles devem ter recursos dedicados para crianças com necessidades especiais e pessoal treinado para esta área.

Infelizmente, devido ao alto custo e dificuldade em encontrar profissionais especializados para vagas relativamente mal remuneradas pode ser que a escola do seu filho não tenha os recursos necessários. Se você não está recebendo o suporte necessário da escola tente as seguintes estratégias:

• Faça uma reunião com a professora, coordenadora e diretora da escola. Pergunte quais são as dificuldades e o que eles propõem como solução. Se a escola não tem experiencia com crianças com autismo talvez você possa direcioná-los.
• Considere que seu filho pode precisar de um ambiente de ensino especializado. Muitos pais insistem que seus filhos devem fazer parte da escola tradicional e eu concordo, porém nem sempre essa é a melhor escolha para seu filho. Analise todos os prós e contras.
• Peça por um plano de ensino individualizado. Todas as crianças com deficiência, incluindo o autismo tem o direito de atendimento e material adaptado.
• Se tudo falhar e você tiver condições, considere contratar um advogado ou alguém para intermediar as conversas com a escola. Existem instituições que buscam a garantia desses direitos e podem auxiliá-lo.

 

 

Cuide de você

Ser pai e mãe já é um trabalho em tempo integral com pouco ou nenhum tempo para cuidar de vocês. Crianças com autismo requerem muito mais atenção que outras crianças. Tirar um tempo para você o ajudará a ser melhor, não é egoísmo, é necessário.

Se você é casado, tente dar ao seu parceiro uma noite para fazer o que quiser, seja caminhar, sair com amigos, ler um livro, assistir TV ou alguma outra coisa. Em semanas alternadas você pode ter uma noite para fazer o mesmo. Comece devagar e aos poucos vá incorporando a rotina, só tenha cuidado para dar atenção a você e não as atividades da casa ou do trabalho.

Se você não tem um parceiro, tente pedir ajuda para alguém da sua rede de apoio. Pode ser mãe, irmã ou amiga de confiança, mas esteja certa de que seja alguém que a criança tenha contato prévio e já esteja adaptada.

Se você tem mais de um filho, tente encontrar atividades que sua criança autista possa participar. Dependendo do temperamento e idade isso pode precisar de um certo investimento do seu tempo, mas no final aproximará as crianças e garantirá muitos momentos agradáveis para a sua família.

Referências:

Traduzido e adaptado de:
DALPHONESE, A; My Child Has Autism. Now What? Accessible ABA, 2021
Disponível em: https://accessibleaba.com/blog/my-child-has-autism-now-what?gclid=Cj0KCQiAvbiBBhD-ARIsAGM48bz9DtwH5Se0WMnUhlecxR1DG9Z4SJs-GuPdYk9pvk8vrzm8PGFV31gaAimFEALw_wcB
Acesso 22.02.2021