A morte e a perda são uma parte natural da vida. Todos nós teremos essa experiência em momentos diferentes de nossas vidas. Por causa da pandemia, as famílias podem estar passando por mais perdas e mudanças neste momento.

     Houve tantas situações desafiadoras – morte de um ente querido, doença prolongada, perda de emprego, indisponibilidade de atividades favoritas, fechamento de lugares / espaços comunitários, perda de apoio, mudanças nas rotinas e aumento do isolamento. Esses eventos são significativos e podem causar sentimentos de tristeza e desespero.

     Às vezes, mudanças e perdas são esperadas e esses eventos podem ser planejados como uma doença de longa duração ou um divórcio. Neste caso, um plano de suporte pode ser feito com antecedência. A perda também pode ser repentina e nos pegar de surpresa, como um acidente. Não haverá planos de suporte antecipado para uma situação como essa.

     É importante ser capaz de fornecer apoio a crianças e adultos no espectro do autismo com o processo de luto na experiência de perda. Suas reações podem ser retardadas ou mais intensas do que o esperado. Também pode haver dúvidas e preocupações sobre como tornar a vida previsível novamente, para fornecer conforto e uma sensação de bem-estar.

Reações ao luto

– Emoções

     Expressar emoções pode ser difícil para as pessoas nesse espectro, mas isso não significa que não existam sentimentos profundos.  Às vezes, a emoção oposta é mostrada ao chorar como uma risada; no entanto, isso não significa que a pessoa está feliz. As reações emocionais podem ser retardadas até que sejam processadas, especialmente em torno de eventos traumáticos.

– Preocupações Cognitivas

     Uma pessoa pode estar preocupada com o que causou o evento ou que isso acontecerá com ela. Muitas pessoas também se sentem culpadas quando um ente querido morre. Dependendo da idade e da compreensão cognitiva, eles podem não entender completamente o que aconteceu, quando pode acabar e quem cuidará deles.

Alguns efeitos cognitivos podem ser:

– Dificuldade de processamento de informações

– Confusão

 – Incapacidade de expressar sentimentos ou fazer perguntas

– Incapacidade de pedir ajuda ou esclarecimento sobre a situação

– Insegurança – fazer as mesmas perguntas repetidamente, querendo garantia.

– Aumento de problemas com habilidades de funções executivas (resolução de problemas, estar em dia, começar)

Respostas Comportamentais

     As respostas podem realmente variar dependendo da pessoa – algumas não terão reação e outras podem demorar. Às vezes, uma reação pode acontecer meses depois, tornando difícil perceber que está ligada a um evento passado, como morte ou divórcio. Os comportamentos podem vir à tona novamente no aniversário de uma perda. É importante tentar resolver a causa de qualquer mudança de comportamento e fornecer suporte.

Tenha em mente:

– O processo de cada um é diferente.

– Valide todos os pensamentos e sentimentos.

– Mantenha as discussões e os materiais apropriados para a idade e o nível de desenvolvimento.

– Mantenha as rotinas diárias consistentes para fornecer previsibilidade.

– Ser paciente.

Este pode ser um momento confuso e ansioso, especialmente se outras pessoas em casa estiverem agindo de maneira diferente. Evite tentar tornar as coisas “melhores”. Este é um processo que deve ser trabalhado.

Tente tornar concretos os conceitos abstratos como a morte. Evite usar expressões como faleceram, foram para o céu, perdemos X.

Use narrativas sociais (uma história personalizada) para explicar os detalhes da situação.